Salsa, Zouk, Bachata, Samba Rock, Tango...
D. de Salão aos Domingos.
Destaques e Promoções
Zouk, Bachata e Salsa. Kizomba Cursos...
Turmas às quartas-ferias 21h30 ou as sextas-feiras 20h30 com Zouk, Salsa e Bachata ou Zouk aos domingos às 14h30 ou Kizomba em aulas particulares. Salas climatizadas. ... Ver Mais
PROMOÇÕES DA SEMANA ATÉ 30/11
Mas atenção, a promoção com Jazz Dance e Alongamento é valida até dia 30/11 no valor do plano semestral sem os desconto.... Ver Mais
Formação de profs. em Dança de Salão.
Ainda da tempo de iniciar... Outubro de 2017 - Formação nível Técnico profissionalizante e Internacional pela CID. Unesco, Paris. Voltado para estudantes "em curso" quanto para profissionais... Ver Mais
desde 1988 ensinando a arte de dançar.
Menu Principal
Newsletter
Receba novidades do Studio Renato Mota periodicamente. Cadastre-se agora.
 Nome:
 E-mail:

MEMBRO DO:
 
Como se posicionar em parceria

Os diferentes passos envolvem também uma série de posições em parceria. Mas seguir os passos não garante uma correta execução da dança. Para realiza-los com elegância, devemos entender a sua intenção estética e estar prevenidos contra algumas das suas armadilhas. 


A posição mais cômoda para começar a se posicionar em parceria é a frontal: a mulher pega a mão do homem e dá uns passos para se aproximar. As cabeças têm que estar levantadas; as costas retas e paralelas e os ombros relaxados. Nesta posição os dançarinos têm várias opções para colocar os braços. Na posição clássica, o homem pode rodear a cintura da mulher e colocar a mão nas suas costas: ela deixa descansar a sua mão esquerda no ombro direito dele, sem chegar a apoiar-se. Os braços que se dão devem estar semiflexionados.


Na valsa, por exemplo, os corpos se colocam de modo que o pé direito de cada um fique entre os pés do casal. O homem coloca o seu braço direito debaixo do braço da mulher, que deixa descansar a sua mão direita na palma da mão esquerda do homem. As mãos juntas devem subir até a altura dos olhos do membro do casal de menor estatura e, em nenhum caso, devem ser utilizadas para empurrar. 

A posição clássica é a mais simples para começar, mas existem variantes: o casal pode enlaçar-se pelas duas mãos, ela com as palmas para baixo e ele com as palmas para cima, dando a aparência de segura-las – mesmo que cada um seja responsável por segurar o seu próprio peso – os braços estão semiflexionados. Isso varia em função da distância que os dançarinos querem se colocar. As outras duas posições de frente são: uma dando uma mão e deixando o outro braço livre, e a outra cruzando-os, onde as extremidades fazem um x.

Na posição lateral, o casal coloca-se de lado e com os pés paralelos, mas em sentido contrário: para que enquanto um avança o outro recua. Os corpos devem dar uma imagem de simultaneidade e proximidade, e devem evitar tocar-se para manter a liberdade de movimentos. Existem três possibilidades para os braços: na posição lateral clássica, ele coloca a mão direita nas costas da mulher e a sua mão esquerda no ombro direito do homem, enquanto enlaçam-se as mãos livres. Os dançarinos também podem enlaçar-se pela cintura: o braço direito do homem segura a sua parceira pela cintura, e ela deixa que o braço repouse no pescoço dele. A última posição lateral consiste em enlaçar os braços próximos e colocar, cada um a sua mão na própria cintura. Em qualquer dessas opções laterais o mais importante para conseguir uma dança compenetrada é a que o casal se olhe. Isto não é possível na posição de costas, na qual um deles coloca-se atrás do outro e olham para direções diferentes. Os braços dele enlaçam a mulher pela cintura ou cruza as suas mãos pela frente da cintura. O casal tem que estar atento para manter a simultaneidade. Nas outras posições, este pequeno lapso pode ser solucionado sem grandes complicações, mas aqui, com toda a segurança, acabará com um choque e a destruição desse efeito estético da dança.


Braços acessíveis e resistentes


O erro mais freqüente nas posições enlaçadas está em como se posicionam os braços. Quando o casal se separa, surge um problema na hora de  voltar a se unir, já que tem que procurar as mãos do parceiro, e isto acaba com a agilidade da dança. É fundamental que as mãos estejam sempre na mesma altura, tanto se está ou não está enlaçado. Quando se mantém o enlace, é necessário oferecer uma certa resistência, o que dá a sensação de coesão e de soltura. Além disso, se o corpo está solto, haverá menor possibilidade de sentir em que direção se deve mover. Para conseguir esta resistência, é preciso manter as costas, os pulsos e os cotovelos firmes. Durante a dança, a resistência deve ser mantida para frente, para trás e nos movimentos laterais.


Onde olhar


Na posição frontal de danças como a valsa, a direção mais segura para se olhar é ligeiramente à esquerda, sobre a parte direita das costas do parceiro. Desta maneira pode-se manter uma conversação, ao mesmo tempo que se evita possíveis choques.


Coleção: AS MELHORES DICAS DE DANÇA DE SALÃO


Edições del Prado, 1999

Abaixo, veja o vídeo que separamos especialmente para você!





Se quiser ver mais pesquisas de danças, clique aqui

  Principal
Quem Somos
Cursos e Aulas
O que fazemos
Localização
Últimas Notícias
Perguntas Frequentes
Contato
  Outros
Depoimentos
Sapatos e Sandálias
Agenda de bailes
Video aulas didáticos
Curso de Formação
Promoções da Semana
  Aulas
Dança de Salão
Country, Sertanejo e Forró
Soltinho
Tango Milongueiro, Salão e Novo
Salsa, Zouk, Bachata e Merengue
Valsa Vienense
Pagode , Samba Rock e Gafieira
  Redes Sociais

Empresas do Grupo
Loja Virtual, Renato Mota. Acessem! Acesse Agenciados: Arte, Moda e Beleza! Acesse Formação em Dança de Salão!
© Studio de dança Renato Mota · Escola de Dança em Santo André - ABC - São Paulo. Aulas, cursos, shows, Dança de Salão. Todos os direitos reservados. · by AGENCIA GIGA!