fbpx
Imprimir
Categoria: JM-Sample-Data
Acessos: 1067
O Intenso sabor dominicano
Em 1850, a dança nacional da Republica Dominicana era a Tumba, dança de origem européia na qual as mulheres ficavam de um lado e os homens de outro. Rapidamente, os casais das ilhas introduziram alguns movimentos eróticos que escandalizaram os europeus. No final da século XIX, a Tumba foi substituída por outra dança derivada do Paseo,  durante a qual os dançarinos escolhiam as dançarinas. Era o Merengue, que aquela época era formado pelo Paseo, pelo Merengue propriamente dito e o jaleo-giros e coreografias mito expressivas.
Entretanto, o merengue foi qualificado como “detestável” e “paixão cruel” e sofreu censura oficial. Por volta de 1910, em Cibao (norte do país) – hoje considerado o quartel general do merengue – foi desenvolvida um dança chamada perico ripado (louro depenado) em homenagem a uma taberna de Santiago de los Caballeros,  capital de Cibao, famosa pela liberdade em questões morais e sexuais. Essa dança era tocada no acordeon – interpretada por músicos como Fefita la Grande, Francisco Ulloa e Cieguito de Nague. Em outras partes, formaram-se conjuntos compostos por acordeon, balsié (pequeno tambor) e balsielito longo (maior que um guayo, transformado em raspador). Durante a ocupação americana.
Coleção: AS MELHORES DICAS DE DANÇA DE SALÃO
Editora: DEL PRADO