fbpx
Imprimir
Categoria: JM-Sample-Data
Acessos: 921
Para o iniciante, a hora da verdade chega ao enfrentar a pista de dança. Quando realizamos passos, seguimos determinadas diretrizes. Na pista de dança, devemos conhecer algumas regras e truques, que nos permitirão integrar plenamente a dinâmIca geral e aprender a dançar.
A primeira coisa que constatamos quando vamos a um baile é que existem algumas danças que seguem uma linha de deslocamento bem definida: os casais movem-se na mesma velocidade e em círculo anti-horário. São as denominadas danças progressivas, como a valsa, o foxtrot, o tango ou a polca. Evidentemente, isso é uma indicação genérica, visto que não devemos realizar todos os movimentos, seguindo estritamente esta linha.
 
As diferentes figuras nos levarão ao movimento em ziguezague, cruzando ou, inclusive, movendo em sentido contrário em relação aos demais dançarinos - mesmo que isso dure alguns segundos. A velocidade do par deve estar bem sincronizada com a dos demais dançarinos, de forma que em nenhum caso as coreografias coloquem o par em uma situação perigosa.
 
 
Em algumas ocasiões, você deve iniciar a dança quando a música já estiver tocando, e os casais em movimento. A responsabilidade de evitar o choque é de quem entra e, antes de ficar em posição de dança - movimento que deve ser realizado rapidamente e com segurança-, olhe em direção oposta à linha da dança, para evitar o bloqueio de algum casal ou acabar chocando-se com outros pares. Para evitar colisões, prepare-se para mudar de direção a qualquer momento, e evite as áreas congestionadas: isto implica prever o movimento geral e adaptar seus movimentos às zonas livres o que, no começo, pode ser complicado, mas com a prática você vai ver que este ato ocorrerá espontaneamente. Para compreender tanto os nossos parceiros como os manuais de dança, existe um sistema obrigatório de referências. Em toda sala existem quatro paredes, e uma delas será o ponto de referência. É a parede que se encontra à direita quando se avança na direção de linha da dança.
 
 
Além de uma só parede, o salão de baile tem dois centros: o centro real e o centro relativo, que está alinhado diretamente. Por outro lado, as danças que não são progressivas como o swing, costumam ser dançadas mais próximas ao centro da pista e, neste caso, os casais indecisos perceberão que a área menos agressiva é a parte externa da pista em oposição à parede principal. Independentemente da sua localização - por exemplo, de frente para a linha de dança, a parede está à direita, e o centro, à esquerda. Os alinhamentos, estão sempre ligados a este centro relativo quando as danças são descritas ou ao falar com o par. É fundamental aprender o desenvolvimento nas danças progressivas. A linha da dança segue um princípio similar ao das pistas de patinação. O dançarino mais experiente é capaz de mover-se rapidamente, situando-se na área mais externa, enquanto o debutante situa-se na área interna, onde o deslocamento é mais lento.
Se o olhar das pessoas ainda lhe causa insegurança, evite a área externa (mais rápida) e a interna (mais lenta). O melhor lugar está em um ponto intermediário, onde você pode arriscar alguns passos para entrar na área mais difícil e retirar-se para a mais cômoda, no caso de não adaptar-se.
Por outro lado, as danças que não são progressivas como o swing, costumam ser dançadas mais próxima